fbpx

Psicologia e dependência química: como tratar?

A dependência química afeta milhares de brasileiros, mas é um problema que pode ser tratado. Entre os tratamentos recomendados está a ajuda psicológica. O apoio de um profissional psicólogo é fundamental para o dependente químico. Isso porque, muitas vezes a dependência química começa por conta de problemas emocionais.

No entanto, muitos psicólogos não se sentem preparados para atender esse tipo de caso. Confira a seguir como o psicólogo pode tratar o dependente químico e de quais maneiras isso pode ser feito.

Entendendo a dependência química

A dependência química é um problema neurológico de saúde no qual o paciente faz uso de forma excessiva e descontrolada de remédios ou consome drogas ilícitas. A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera a dependência química uma doença. Esse vício muitas vezes começa por conta de traumas psicológicos, desequilíbrios emocionais ou outros transtornos como a ansiedade e a depressão.

O uso das drogas pode causar grandes prejuízos para a saúde física e mental dos pacientes. Além disso, em muitos casos, a família do dependente químico também acaba se tornando psicologicamente abalada por conviver com alguém com este problema.

É importante reforçar que o vício em substâncias químicas não é uma escolha do paciente. Esses produtos causam alterações no sistema nervoso, tornando o copo do paciente dependente deste tipo de substância. Entretanto, sem o uso, ocorrem as crises de abstinência, que também causam sintomas físicos. Além disso, os pacientes costumam se tornar também psicologicamente dependente das drogas. Por isso, acabam buscando consumir essa substância como uma forma de reprimir sentimentos ruins ou controlar emoções.

Infelizmente, esse problema ainda é visto como um grande tabu por muitas pessoas. Diversas famílias se recusam a procurar ajuda para os dependentes por preconceito ou medo de tocar neste assunto. Dessa maneira, é ainda mais importante que o psicólogo saiba identificar, por exemplo, pacientes que estejam vivendo esse problema ou que tenham um caso na família. Assim, o psicólogo poderá orientar sobre como proceder com um tratamento adequado.

Como realizar o atendimento ao dependente químico

Os dependentes de substâncias químicas costumam apresentar alguns sintomas recorrentes, como:

  • Irritabilidade, insônia, tremores e ansiedade quando não estão sob o efeito da substância
  • Depressão e perda de vontade de praticar atividades que antes eram prazerosas
  • Descontrole e consumo das substâncias em vários momentos
  • Agressividade, tensão constante e crises de alteração de humor ao não consumir a droga

O tratamento psicológico para pessoas com vícios químicos visa mais do que a quebra da dependência. O psicólogo deve buscar os motivos emocionais que levam o paciente a consumir essas substâncias e tratar essas causas. O equilíbrio emocional tende a fazer com que o paciente tenham mais vontade e determinação em seguir um tratamento para acabar com o vício.

Mas as faculdades de psicologia ainda abordam de forma muito superficial, ou quase não abordam este tema com os psicólogos em formação. Isso faz com que muitos estudantes de psicologia, recém formados ou até psicólogos já experientes tenham dificuldade em tratar esses casos.

Por isso, apresentamos o curso Manejos Clínicos Com Dependentes Químicos onde você pode aprender de forma aprofunda sobre as práticas clínicas para dependentes químicos, acolhimento familiar, qual o melhor tratamento para cada caso, entre muitos outros conceitos.

Aproveite nosso valor especial de R$ 1,90 no primeiro mês de assinatura e confira esse e outros cursos para a sua formação como psicólogo!

Gabriela Bratfisch Gabriela Bratfisch